Cidadania italiana

nacionalidad italiana

c

Cidadania italiana

Em termos legais, a cidadania é a condição da pessoa natural (chamada cidadão), para quem o sistema legal de um estado reconhece a plenitude dos direitos civis e políticos. A cidadania, portanto, pode ser vista como um status do cidadão, mas também como uma relação legal entre cidadão e estado.
O tema da cidadania é regulamentado de forma homogênea pela lei de 5 de fevereiro de 1992, n. 91 e pelo regulamento de execução, Decreto Presidente da República, 12 de outubro de 1993, n. 572.
A cidadania pode ser:

Atribuída pelo nascimento
Adquirida
Reconhecida pelos descendentes de cidadãos italianos – jure sanguinis – (o reconhecimento é regido pela Circular do Ministério do Interior K.28.1 de 8.4.1991)
Reconhecida após procedimentos judiciais pela via maternos (crianças nascidas de uma mulher italiana antes de 01.01.1948).

1. ATRIBUIÇÃO DA CIDADANIA ITALIANA PARA O NASCIMENTO

Uma pessoa é um cidadão italiano se:

a) nascido de um pai ou mãe italiano onde quer que o parto ocorra. Se pelo menos um dos pais for italiano, a criança será um cidadão italiano.

b) nascido em território italiano. Neste caso adquire a cidadania italiana o filho de pessoas desconhecidas e o filho de pessoas apátridas. Neste último caso, os pais precisam provar seu status de apátrida;

c) é filho de pais estrangeiros nascidos na Itália e não segue a cidadania dos pais devido à lei do país de origem dos pais, conforme previsto e prescrito pelo art. 2 do Decreto Presidencial 572/93.

2. COMPRA DA CIDADANIA ITALIANA

1. Compra espontânea

O cidadão de um país estrangeiro de nascimento adquire a nacionalidade italiana nos seguintes casos:

a. se de menor idade e é reconhecido por um pai ou mãe de cidadania italiana. Neste caso, adquire a cidadania italiana desde o nascimento, desde que na data de nascimento a mãe fosse italiana. A compra devido ao reconhecimento é automática e é certificada pelo prefeito.

b. se de menor idade e for adotado por pai ou mãe de cidadania italiana. A compra ocorre como resultado da transcrição da ordem de adoção nos registros de status civil do município.

c. se de menor idade e coabitantes, no momento da compra, com o genitor que adquire a cidadania italiana. Neste caso, a aquisição da cidadania do filho menor é um automatismo que é atestado pelo prefeito.

2. Adquirir a declaração a seguir

O cidadão de um país estrangeiro de nascimento pode adquirir a cidadania italiana se, na posse de certos requisitos e mediante a ocorrência de certas condições, através de uma declaração explícita manifestando a vontade de adquirir a cidadania italiana. Os casos de aquisição de cidadania após declaração são os seguintes:

a. Criança natural, adulta, reconhecida pelos pais italianos. A declaração de reconhecimento deve ser seguida, no prazo de um ano a partir da data em que o genitor italiano foi dado, uma declaração adicional do reconhecido pelo qual a vontade de se tornar um cidadão italiano é expressa. A declaração para a aquisição da cidadania italiana é feita ao secretário do município de residência, ou à autoridade consular italiana no exterior.

b. Um estrangeiro nascido na Itália e legalmente residente na Itália sem interrupção até a maioridade. Ele pode se tornar um cidadão italiano se fizer uma declaração ao secretário do município de residência entre 18 e 19 anos de idade. A residência é legal quando o estrangeiro está em posse de uma autorização de residência regular e está registrado no cartório.

c. Um estrangeiro com pelo menos um dos pais ou avós, eles têm sido cidadãos italianos de nascimento e residem legalmente com a idade de pelo menos dois anos na Itália. Ele pode se tornar um cidadão italiano se fizer uma declaração ao secretário do município de residência entre 18 e 19 anos de idade.

d. Um estrangeiro de quem pelo menos um dos pais, ou avós, eram cidadãos italianos de nascimento, que assumiu um emprego público empregado pelo Estado italiano, pode se tornar um cidadão italiano se pretender adquirir a cidadania italiana.

3. COMPRA POR NATURALIZACAO

a) Naturalização após o casamento

A cidadania italiana pode ser concedida a cidadãos estrangeiros casados ​​com um cidadão italiano, desde que não haja impedimentos decorrentes de qualquer sentença de condenação ou haja razões relativas à segurança da República.

O cônjuge estrangeiro de cidadão italiano adquire a nacionalidade italiana se residir legalmente na Itália há pelo menos 2 anos (1 ano na presença de filhos nascidos ou casados) ou, se residir no exterior, após três anos da data de nascimento. casamento.

A cidadania é conferida a pedido da parte interessada, para ser promovida após o término dani acima, com o Decreto do Ministro do Interior que entra em vigor somente após o juramento, perante o Oficial do Estado Civil do Município de residência ou perante a autoridade diplomático-consular. A pessoa em questão se torna um cidadão italiano no dia seguinte ao juramento.

O requerimento deve ser elaborado nos modelos apropriados e deve ser apresentado aos escritórios competentes em relação ao local de residência do interessado, ou à autoridade consular em caso de residência no exterior. À candidatura deve ser anexada a documentação comprobatória atestando a existência dos requisitos exigidos, bem como o recebimento do pagamento da contribuição de € 250,00.

O decreto do Ministério do Interior com o qual a cidadania italiana é concedida é notificado ao interessado, que tem seis meses para fazer o juramento exigido perante o cartório civil do município de residência ou, se residir no exterior. , perante a autoridade diplomático-consular.b) Natalização ordinária

De acordo com a legislação italiana, a cidadania também pode ser concedida a estrangeiros que residem legalmente em território italiano após um certo período de tempo. A residência é legal quando o estrangeiro está de posse de uma autorização de residência válida e está registado no cartório.

Todos os casos práticos:

1. o estrangeiro cujo pai ou mãe ou avô eram cidadãos de nascimento: anos de residência obrigatórios 3.

2. o estrangeiro nascido no território da República: anos de residência exigidos 3.

3. o estrangeiro mais velho adoptado por um cidadão italiano ou filho adulto legítimo de um nacional estrangeiro: os anos de residência exigiram 5 anos a partir da adopção ou aquisição da nacionalidade dos pais nacionais.

4. o cidadão estrangeiro da União Europeia: os anos de residência exigiram 4 anos.

5. estrangeiro estrangeiro: anos de residência necessários 10 anos

6. o apátrida: anos de residência necessários 5 anos.

7. o estrangeiro que trabalhou para o Estado também no exterior: 5 anos de serviço, independentemente do requisito de residência.

8. o estrangeiro afiliado ao cidadão perante a lei 184/1983: 7 anos após a afiliação.

9. o estrangeiro que prestou serviços pendentes a Itália ou se houver um interesse excepcional do Estado: não está previsto qualquer prazo.

La, em todos esses casos é dada, a pedido de um Decreto do Presidente da República . cuja eficácia é, no entanto, subordinada à prestação do juramento, perante o Agente Civil do Município de residência ou perante a autoridade diplomático-consular.

A pessoa em questão se torna um cidadão italiano no dia seguinte ao juramento. O interessado deve apresentar um pedido ao Ministério do Interior e está sujeita ao pagamento de uma contribuição de € 250. O pedido deve ser feito sobre os modelos apropriados e apresentados aos serviços competentes em relação ao local de residência ou da autoridade consular em caso de residência no exterior.

A documentação que indica a existência dos requisitos necessários deve ser anexada ao aplicativo. O decreto do Presidente da República com a qual a cidadania italiana é concedida ao requerente, que tem seis meses a partir da notificação, para fazer o juramento prescrito antes do secretário do município de residência ou, se residente no exterior, perante a autoridade diplomático-consular.

RECONHECIMENTO DE CIDADANIA ITALIANA aos descendentes dos cidadãos italianos (jure sanguinis)

Ao contrário do passado, a legislação em vigor em Itália permite a posse de mais de uma conseqüência cidadania. Diretta disso é que os descendentes de segunda, terceira, quarta geração e além da nossos emigrantes têm possibilidades reais de serem cidadania bateu italiana.

Detta possibilidade foi expandida aos membros de famílias de antiga origem italiana nascidos após 1 de janeiro de 1948, porque, a partir daquela data, de acordo com os ditames da decisão no. 30 de 9 de Fevereiro de 1983, o Tribunal Constitucional, também devem ser considerados cidadãos italianos crianças nascidas de mães com a nacionalidade no momento de seu nascimento ou reconhecido pela mãe ou cuja maternidade é declarado giudizialmente.

In dos nossos descendentes de imigrantes também, em última análise ou filha do nosso emigrante devem ser considerados cidadãos italianos re sanguinis por derivação materna, desde que nasceram após 1 de janeiro de 1948, data de entrada em vigor da Constituição italiana Todos os casos de transmissão da nacionalidade Jure sanguinis:

1. Bisavô-bisavô-avô-pai-você.

Quando você só tem homens na linhagem, você sempre terá o direito à cidadania italiana, independentemente da geração.

2. Bisavô- Bisavô- Avô – Mãe- Você.

Quando você tem mulheres na linhagem, a mãe em como exemplo, para você ter direito ao reconhecimento da cidadania italiana, você terá que nascer depois de 1º de janeiro de 1948.

3. Trisavolo- Bisnonno- Nonna- Mãe /Pai-Voce

Quando você tem mulheres na linhagem, a avó neste exemplo, que você tem direito a cidadania italiana, a mãe ou o pai deve ser nascido após 1 de Janeiro 1.948

4. Bisavô – Grande-avó – avó / Nonno- Mãe / Pai – Voce

Quando você tem mulheres, em conformidade com o sangue, a bisavó neste exemplo, de modo que você tem o direito de reconhecimento da cidadania, avó ou avô deve ter nascido após 1 de Janeiro de 1948.

 

CIDADANIA DE DESCENDENTES DE MULHER ITALIANA (o com ascendência italiana), nascido antes 01.01.1948

Per os descendentes de mulher italiana (ou ascendência italiana) nascido antes de 01/01/1948, há uma chance de ficar no reconhecimento legal da cidadania italiana.

Com a sentença das Seções Unidas do Tribunal de Cassação n. 4466 de 25 de fevereiro de 2009, o Supremo Tribunal de fato estabeleceu que, como resultado das decisões do Tribunal Constitucional n. 87 de 1975 e n. 30, de 1983, deve ser concedido o direito ao “status” de um cidadão italiano nascido no estrangeiro pelo filho requerente da mulher italiana casada com um cidadão estrangeiro em vigor da Lei n. 555 de 1912, que foi, consequentemente, privado de cidadania italiana devido ao casamento.

Embora seja compartilhando o princípio inconstitucionalidade superveniente, segundo a qual a declaração de inconstitucionalidade dos requisitos pré-constitucionais produz apenas efeito sobre relacionamentos e situações que ainda não foram esgotados na data de 1 de janeiro de 1948, não ser capaz de realimentar além da entrada em vigor da Constituição, o Tribunal considerou que o direito de cidadania como “status” permanente e irrenunciável, para salvar a extinção do efeito de cancelamento por parte do requerente, é justiciable em todos os momentos (mesmo em caso de morte ou antes do Ascendente pai a partir do qual derivam reconhecimento) para o efeito continuado mesmo após a entrada em vigor da Constituição da ‘privação ilegítima devido à regra discriminatória declarou incostituzionale.Successivamente a esta declaração de 2009, os juízes do Tribunal de Roma emitiram decisões diferentes reconhecimento da cidadania italiana a crianças e descendentes de cidadania italiana, nascidos antes de 1948.

Mas não tendo o Parlamento italiano incorporadas no direito que o Tribunal de Cassação, você não pode obter a cidadania jure sanguinis através do maternal promover a sua aplicação ao Consulado ou Estado Civil competente escritório dos municípios italianos, mas deve empreender um processo de giudiziario.

E ‘deve ainda, para a concessão italiana sanguinis cidadania jure que os descendentes de antepassado italiano, incluindo a recorrente, não perderam os documentos de cidadania italiana.

 

CIDADANIA ITALIANA VIA JUDICIAL (descendência italiana por via materna, descendência trentina e fila de espera nos Consulados Italianos)

Considerada a demora administrativa de mais de 10 anos dos Consulados Italianos no Brasil para o efetivo reconhecimento da cidadania italiana, bem como todos os casos em que o reconhecimento da cidadania deve ser realizado, obrigatoriamente, por via judicial (descendência italiana por via materna, descendência trentina e outros casos específicos), a Advogada ítaliana Orsola Siclari, fornece aos cidadãos ítalos-brasileiros, o serviço judicial para proceder ao reconhecimento da mencionada cidadania italiana, diretamente na Itália, no Tribunal de Roma.

É um direito do descendetente de italiano, a ser reconhecido e declarado cidadao italiano por direito de sangue.

 

LEGALIZACAO PARA CIDADANIA NO PRAZO DE 90 DIAS.

Na Itália também é possível propor ação legal Obrigar os Consulados, que atualmente têm listas de espera de anos, a legalizar os documentos dentro de noventa dias.

E ‘pode obter do Tribunal Administrativo Regional (TAR) um julgamento descobre que o fracasso da Administração dos Negócios Estrangeiros para a conclusão do processo predestinado para legalizar documentos solicitados e, consequentemente ordena o mesmo, para fornecer feedback ao pedido de legalização documental no prazo de 90 (noventa) dias a partir da notificação da comunicação administrativa da sentença. O processo judicial dura cerca de 8 a 10 meses. A conclusão favorável do procedimento permitirá à parte interessada comparecer nas instalações do Consulado para garantir a legalização dos documentos necessários para ter reconhecido o seu direito à cidadania.

Utilizzando il sito, accetti l'utilizzo dei cookie da parte nostra. maggiori informazioni

Questo sito utilizza i cookie per fornire la migliore esperienza di navigazione possibile. Continuando a utilizzare questo sito senza modificare le impostazioni dei cookie o cliccando su "Accetta" permetti il loro utilizzo.

Chiudi

A Cidadania Italiana - p.i. 02369760802 - 2012 Tutti i diritti sono riservati